Sólida infra-estrutura e advogados
            especializados na área previdenciária.

Lesões da Voz e o INSS
O assunto hoje interessa a todos os professores, locutores, telefonistas, vendedores... Enfim, todas as pessoas que fazem da voz a sua ferramenta de trabalho.
Saiba +
Artigos

Cadê os Ulisses?
Publicado no Jornal Comércio da Franca do dia 09/10/2015, Seção Opinião e Debates, pág. 02 (disponível também em http://gcn.net.br/noticia/299703/opiniao/2015/10/cade-os-ulisses)
Escrito por: Tiago Faggioni Bachur. Colaboração de Fabrício Barcelos Vieira. Advogados e professores especialistas em Direito Previdenciário



Há quase 30 anos — 5 de outubro de 1988 —, foi promulgada a Constituição Federal do Brasil, aquela que está em voga. A ditadura tinha chegado ao fim e a democracia se reinstalava. Ulisses Guimarães e vários parlamentares da época desenharam essa que se tornou conhecida como a Carta Cidadã. Nela, direitos sociais — assim conhecidos o exercício e o usufruto de benefícios fundamentais que geram condição de igualdade, vida digna, proteção e garantias concernentes ao Estado Democrático de Direito — foram reescritos. O artigo 6º, a exemplo, deu, a todos os brasileiros, direito à educação, saúde, alimentação, trabalho, moradia, transporte, lazer, segurança, previdência social etc. 
 
O tempo passou. A Constituição continua a mesma, mas, pergunta-se: os ideais daqueles homens saíram do papel e se tornaram válidos?
 
Cortes nas verbas da educação, desrespeito a professores, suspensão de programas relacionados à saúde que buscam fornecer medicamentos para quem necessita e várias das recentes mudanças na Previdência Social parecem dizer o contrário. No tocante à Seguridade Social, cumpre lembrar que apesar de superavitária, nossos representantes sempre tentam passar a ideia de que ela é deficitária e, em razão disso, muitas vezes buscam justificar o aumento ou criação de novos tributos (veja mais em http://gcn.net.br/noticia/297682/opiniao/2015/09/surpreendente). 
 
Porém, ainda que fosse verdade a informação de déficit previdenciário, por se tratar de um direito social amparado constitucionalmente, é obrigação do Poder Público a sua manutenção. O próprio artigo 195 da CF garante isso, ao dispor que deveria vir também recursos provenientes dos orçamentos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios — o que, infelizmente, nem sempre acontece. Aliás, os governos (principalmente os de vários municípios) são os maiores devedores do INSS. Em 12/10/1992, Ulisses Guimarães morreu vítima de acidente de helicóptero. É difícil, mas precisamos encontrar novos Ulisses.
 
 
Tiago Faggioni Bachur
Colaborou Fabrício Barcelos Vieira, advogados especialistas em Direito Previdenciário


----

SENSACIONAL!

Não perca a NOVA EDIÇÃO do livro que é um SUCESSO!!!





BACHUR & VIEIRA - advogados


acesse: www.bachurevieira.com.br
Escritório: Rua Couto Magalhães, 1846 e 1850 - CEP 14.400-020 - Fone (16) 3403.3468 e 3025-0503 - Franca/SP


Mantenha-se informado em tudo o que acontece na área previdenciária. Acesse www.bachurevieira.com.br.
Notícias previdenciárias atualizadas diariamente!





Voltar


Rua Couto Magalhães, nº 1846 e nº 1850
Centro - Franca/SP - CEP 14400-020
Fone (16) 3403-3468 - 3025-0503

Todos os direitos reservados
Desenvolvido por