Sólida infra-estrutura e advogados
            especializados na área previdenciária.

Lesões da Voz e o INSS
O assunto hoje interessa a todos os professores, locutores, telefonistas, vendedores... Enfim, todas as pessoas que fazem da voz a sua ferramenta de trabalho.
Saiba +
Artigos

INSS e Danos Morais
Publicado no Jornal Comércio da Franca do dia 02/09/2016, Seção Opinião e Debates, pág. 02 (disponível também em http://gcn.net.br/noticias/331702/opiniao/2016/09/inss-e-danos-morais)
Escrito por: Tiago Faggioni Bachur. Colaboração de Fabrício Barcelos Vieira. Advogados e professores especialistas em Direito Previdenciário



A lei diz que quem viola direito e causa dano a outrem, por ação ou omissão voluntária, negligência ou imprudência, comete ato ilícito, ficando obrigado a repará-lo. Deve ser avaliada a conduta do agente, qual seja, um encadeamento ou série de atos ou fatos. E o INSS também pode cometer ‘erros’ que causem prejuízos aos beneficiários.

 

Se alguém cumprir os requisitos para a obtenção de aposentadoria, auxílio-doença, pensão ou qualquer outro benefício e o INSS nega, há dano ao trabalhador ou seus dependentes.

 

Recentemente, a polêmica Medida Provisória nº 739/2016, que autoriza a reavaliação e corte de aposentadoria por invalidez e auxílio-doença pela Previdência Social, também pode ser fonte de prejuízo para os trabalhadores.

 

Imagine um segurado que vinha recebendo seu benefício, e ao ser reavaliado, o INSS corta. Do dia para a noite, parou de receber seus proventos, o que, certamente, lhe causa enormes transtornos. Se ingressar na Justiça e for reconhecido que o corte foi indevido, e se mande o restabelecimento, cabe ação de danos morais contra o INSS.

 

Se o cidadão tinha empréstimo consignado nesses casos, com certeza a ‘encrenca’ torna-se maior. Isso porque, a obrigação de quitar as parcelas junto a financeira persiste, independentemente da suspensão do benefício.

 

Não raras vezes, ao renegociar a dívida, acaba assumindo taxas e juros maiores. O nome pode ir para o SPC/SERASA. A energia e/ou a água pode ser cortada. EnFIm, se esse tipo de ‘caos’ for instalado na vida do trabalhador, juntamente com a indenização por danos morais, pode ser pedido o reembolso dessas taxas e juros maiores, e todos os gastos excedentes que o  segurado foi obrigado a suportar pelas mazelas do INSS.

 

A ação por danos materiais e morais em casos tais, pode ser feita no mesmo processo em que se pede o reestabelecimento do benefício; ou em outro, apartado. Em caso de dúvida, procure um especialista.

 

 

Tiago Faggioni Bachur

Colaborou Fabrício Vieira, advogados especialistas em Direito Previdenciário

.......................






BACHUR & VIEIRA - advogados


acesse: www.bachurevieira.com.br
Escritório: Rua Couto Magalhães, 1846 e 1850 - CEP 14.400-020 - Fone (16) 3403.3468 e 3025-0503 - Franca/SP


Mantenha-se informado em tudo o que acontece na área previdenciária. Acesse www.bachurevieira.com.br.
Notícias previdenciárias atualizadas diariamente!





Voltar


Rua Couto Magalhães, nº 1846 e nº 1850
Centro - Franca/SP - CEP 14400-020
Fone (16) 3403-3468 - 3025-0503

Todos os direitos reservados
Desenvolvido por