Sólida infra-estrutura e advogados
            especializados na área previdenciária.

Lesões da Voz e o INSS
O assunto hoje interessa a todos os professores, locutores, telefonistas, vendedores... Enfim, todas as pessoas que fazem da voz a sua ferramenta de trabalho.
Saiba +
Auxílio - Acidente



Muitas vezes há certa confusão entre o auxílio-acidente com o auxílio-doença por acidente (que não é a mesma coisa).

Uma das principais diferenças é que no auxílio-doença (inclusive a provocada por acidente do trabalho) a incapacidade é TOTAL e TEMPORÁRIA e no auxílio-acidente a incapacidade é PARCIAL (podendo ou não ser PERMANENTE). Dessa maneira, via de regra, aquele que recebe auxílio-acidente já recebeu o auxílio-doença.

É, portanto, um benefício de prestação continuada pago pelo INSS ao segurado que ficar incapacitado para o trabalho parcialmente e do qual resulte em seqüela.

O segurado, após a consolidação das lesões, havendo seqüelas, tem direito ao recebimento desse benefício.

Para entender melhor: se o segurado perder um dedo, receberá auxílio-doença até a respectiva alta. Estando apto novamente para voltar ao trabalho, mas com as seqüelas, receberá auxílio-acidente até o dia em que se aposentar (mesmo que receba salário da empresa).

O auxílio-acidente, via de regra, não se acumula com a aposentadoria, salvo se o fato gerador (acidente) foi anterior a 1997, ocasião em que era permitido o recebimento em concomitância com a aposentadoria.

Hoje ele é somado com o valor das contribuições, aumentando o cálculo da aposentadoria.

O INSS muitas vezes não se atenta a esse fato, o que permite a propositura de Ação.


Voltar


Rua Couto Magalhães, nº 1846 e nº 1850
Centro - Franca/SP - CEP 14400-020
Fone (16) 3403-3468 - 3025-0503

Todos os direitos reservados
Desenvolvido por